COVEN DE TOMAR

Tradição Alexandrina da Witchcraft

Linha de Queensberry

O COVEN

Somos iniciados da tradição Alexandrina Witchcraft (fundada por Alex e Maxine Sanders) dentro da wicca tradicional. A nossa tradição concentra-se na adoração à Grande Mãe e ao Deus Cornudo Seu consorte, o par cósmico que dá forma a tudo o que existe e representa a Natureza em toda a sua magia, poder e beleza. Estes são representados em coven pela Sumo Sacerdotisa e pelo Sumo Sacerdote. Os temas básicos da nossa tradição são: o poder da vida, a inevitabilidade da morte e a reencarnação. É um ciclo eterno de nascimento, morte e renascimento. Existem também três princípios essenciais: Beleza, Liberdade e Poder.


As iniciações são conduzidas segundo os rituais tradicionais do Livro das Sombras Alexandrino, um livro manuscrito passado e copiado à mão entre os iniciados da tradição de geração em geração. Existem três graus de iniciação na nossa tradição. O período mínimo entre o 1º, e o 2º e 3º graus, no nosso coven, é de 3 anos. Seguimos a tradição Alexandrina original de dar o 2º e 3º graus juntos, tal como era feito nos covens de Alex e Maxine Sanders. O coven pode por vezes requerer estudos de técnicas especializadas e por vezes este período pode-se estender um pouco mais. Entendemos que a iniciação é um momento decisivo na vida do indivíduo com uma verdadeira vontade, e que (se espera) mudar a vida do neófito.


Na Tradição Alexandrina, os covens são totalmente autónomos. Cada coven é administrado por uma Sumo Sacerdotisa e por um Sumo Sacerdote com ajuda e conselho dos anciãos do coven.

Os nossos rituais são conduzidos exclusivamente dentro de um círculo mágico, traçado segundo a forma tradicional, conforme o Livro das Sombras e o nosso treino Alexandrino. O que quer que aconteça dentro de um círculo mágico, é privado e mantido em segredo por todos aqueles que participaram no círculo. Cada iniciado de um coven Alexandrino traça a sua linha iniciática até Alex e Maxine Sanders. Estas linhas iniciáticas não são secretas, mas são usadas na sua plenitude apenas para fins de identificação internos e nunca são publicadas. A iniciação é sempre feita de homem para mulher, de mulher para homem — o seu iniciador será, portanto, o membro do corpo sacerdotal do sexo oposto. Nunca se cobra dinheiro por iniciações, nem por qualquer outro trabalho mágico.


O coven de Tomar, é o Coven da Tradição Alexandrina da Witchcraft (Wicca Tradicional), na Linha de Queensberry na cidade de Tomar, Portugal.


Covens na wicca tradicional têm o que se designa por linhagem. Os covens Alexandrinos fazem parte da Tradição Alexandrina no seu todo, mas tem algumas especificidades no seu trabalho ou nos seus ensinamentos que podem advir da forma como o grupo ou os seus fundadores foram treinados, e demais influências que proveem de preferências de estudo ou de trabalho do coven. Uma linha é formada quando 3 ou mais covens são criados a partir de um coven original.


O coven de Tomar, pertence à Linha de Queensberry. A Linha de Queensberry é constituída por influências, contactos e ensinamentos diversos, que influíram o coven de Luna Matris e mais tarde o coven de Queensberry na sua formação, e deram origem às suas práticas e formas ritualisticas, alinhadas com as origens da Tradição Alexandrina (1969/70). Assim, a Linha de Queensberry advém e faz parte da linha Alexandrina Americana Du Bandia Grasail (Linha de Boston) original (DBG -1969), passada diretamente através da sua Witch Queen, e conta também com contacto/treino direto por mais duas vias/linhas Alexandrinas: diretamente através da cofundadora da Tradição, Maxine Sanders (origem em 1964) e da Linha de Kent* (origem em1976) através da sua Witch Queen. Portanto, a Linha de Queensberry tem o privilégio de incluir influências, treino, inspiração, e referências diretas de trabalho de três pontos/linhas/épocas distintas na tradição Alexandrina, que se estendem desde a sua origem (1969), passando pelo desenvolvimento e experiências posteriores (1976).

Com Maxine Sanders, cofundadora da Tradição Alexandrina, tivemos a honra de aprender e receber treino e ensinamentos diretos, os quais inspiraram e continuam a inspirar o nosso trabalho no coven de Tomar. Estas influências, ensinamentos e contactos, formam, no seu todo, a Linha de Queensberry.


Complementarmente contamos com mais de 16 anos de experiência ativa em covens fundados nos Estados Unidos - o Temple of Luna Matris (Salem, MA em 2008) e o Coven de Queensberry (Boston, MA em 2015), fundados pelos mesmos membros que criaram em 2021 o Coven de Tomar em Portugal.


Não podemos deixar de mencionar que estamos infinitamente gratos aos iniciados e professores das linhas/vias previamente mencionadas, com as quais mantivemos ou mantemos contacto e ligação, pela sua dedicação, vocação, generosidade, carinho, lealdade e conhecimento passado, fruto de um trabalho desenvolvido durante mais de 50 anos na Tradição Alexandrina, sem os quais nós não seriamos o que somos hoje.

CREDENCIAIS

INICIAÇÃO

No Coven de Tomar implementamos o desenvolvimento do trabalho mágico de cada iniciado, na verdadeira vocação, dedicação e serviço ao Círculo de Bruxaria, na consciência de que fazemos parte de um Corpo Sacerdotal. Acreditamos que o caminho Sacerdotal na Wicca Tradicional, e de acordo como fomos ensinados, é um caminho primeiro de Vocação, e segundo de Dedicação. Portanto, pense bem quanto ao nível de compromisso que deseja disponibilizar a este Caminho, antes de pedir formalmente iniciação no nosso coven.

Se após ter lido atentamente o texto acima, continua a desejar pedir iniciação no nosso coven, envie um e-mail com as seguintes informações:


Qual é o motivo subjacente à sua escolha da Tradição Alexandrina como o seu caminho espiritual? Quais são suas expectativas relativamente aos benefícios pessoais que a Tradição Alexandrina da Witchcraft pode proporcionar a você? De que maneira você planeja contribuir para o desenvolvimento e preservação da Tradição Alexandrina da Witchcraft?


Para ser aceite no Coven de Tomar, terá de ter um bom domínio da língua inglesa. A nossa Tradição tem origem nas Ilhas Britânicas (Londres, R.U.) e como tal, toda a liturgia, textos e rituais, são realizados em inglês. Saiba também que, caso seja aceite para iniciação e treino, terá que interromper toda a atividade mágico-religiosa que mantém noutras tradições, ordens, grupos, rituais abertos ou fechados, ou qualquer outra categoria de aprendizagem relacionada à bruxaria, pois cada indivíduo, na nossa perspetiva, pode apenas ter um professor de cada vez.



Se nos pede iniciação, é porque certamente sente que este pode ser o seu caminho, e acredita ser isto que quer fazer daqui por diante, portanto, algo que pretende se dedicar de forma absoluta.

Acreditamos que este é um caminho que inclui disciplina, portanto, precisa expressá-la concentrando a sua atenção e esforço na aprendizagem e na experiência desta corrente de bruxaria, após a iniciação formal no nosso coven. As práticas devocionais pessoais podem ser continuadas, se por ventura as tiver.

Uma vez feito o pedido, os candidatos aceites terão de ter em consideração a frequência das reuniões de coven. Espera-se que compareçam ao treino em Coven, no mínimo 2 vezes por mês para além de Sabbats e Esbats (os quais podem coincidir com dias de treino), portanto, considere estes planos de viagem necessários e a viabilidade dos mesmos, assim como a sua disponibilidade, antes de fazer o seu pedido.

​Primeiro, tenha em consideração que este é um caminho de vocação e absoluta dedicação, por isso, e mais uma vez, reflita se de facto é este o caminho que deseja e anseia, antes de nos enviar o seu pedido.

Deixamos a ressalva que só são aceites pedidos de iniciação de maiores de 18 anos.

Contacto:

covendetomar@gmail.com


Em ‘O Círculo Interior - Um Discurso sobre a Tradição Alexandrina da Witchcraft’, Karagan oferece uma fascinante visão dos ensinamentos e práticas da Wicca tradicional, com foco especial na Tradição Alexandrina. Com base nas suas experiências pessoais e nas raízes históricas desta tradição, o livro apresenta uma rica tapeçaria de narrativas que remontam aos primeiros covens liderados por Alex e Maxine Sanders em Londres nos anos 70. O autor compartilha a sua jornada na Tradição Alexandrina desde os Estados Unidos até Portugal, detalhando os desenvolvimentos ao longo do tempo e o seu esforço contínuo para preservar e aprimorar os métodos originais. Com uma mistura de tradição e inovação, este livro oferece uma visão única para aqueles que buscam explorar a bruxaria moderna e a Wicca tradicional, convidando os leitores a contemplar o círculo da bruxaria com um olhar fresco e inspirador.

Um podcast (em língua Inglesa) sobre Wicca Tradicional, em especial, a Tradição Alexandrina da Witchcraft. Apresentado por Karagan e Michael, dois Sacerdotes Alexandrinos.

Um blog em Inglês, com textos interessantes que vale a pena ler.

Junte-se a uma comunidade de indivíduos com interesses semelhantes no Facebook, repleta de iniciados e buscadores. Este é um excelente local para fazer novos contatos e ampliar sua rede de conhecimentos.

O TEMPLO DA MÃE - uma inspiração


Um vídeo fascinante proporciona uma visão envolvente das práticas do Templo da Mãe, coven liderado por Maxine Sanders. O registro audiovisual destaca a condução do ritual por Maxine, revelando a profundidade e a riqueza das tradições mágicas presentes no templo. Este vídeo, proveniente do programa televisivo 'A RAINHA DAS BRUXAS' exibido em 19 de novembro de 1979 no programa 'MAS ALÁ' (TVE), é um tesouro dos arquivos de Moisés Garrido e Claudia M. Moctezuma. A re-edição recente em alta definição, realizada por Karagan Griffith em 2023, adiciona uma nova camada de clareza e detalhes ao material, permitindo que os espectadores apreciem ainda mais a maestria e a autenticidade das práticas mágicas transmitidas pelo Templo da Mãe. Uma experiência única que mergulha nas raízes da tradição mágica, proporcionando uma visão única do legado de Maxine Sanders e seu impacto duradouro no mundo da bruxaria contemporânea. Este legado abrange não apenas nossas práticas e o coven de Tomar, mas também incorpora diretamente o treino e ensinamentos singulares que recebemos de Maxine Sanders, tornando-se uma influência fundamental no nosso trabalho.